| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

REVISTA FORMAS & MEIOS
Desde: 03/02/2005      Publicadas: 754      Atualização: 31/10/2005

Capa |  ARTES PLÁSTICAS  |  ARTESANIA  |  ATUALIDADES  |  CARANGO  |  CHARGE  |  CINEMA ANTIGO  |  CLÁSSICA  |  CONTANDO HISTÓRIAS  |  CRÉDITOS  |  CULTURA  |  DEAD ROCK  |  DISCOS / SHOWS  |  EDITORIAL  |  EXPOSIÇÕES  |  F&M FEMININA  |  F&M WORLD  |  FILMES EM CARTAZ  |  FOTOTECA  |  GALERIA VISCONDE  |  GIGANTES DO JAZZ  |  IMPRENSA  |  LITERATURA  |  MAURÍCIO CARDIM  |  MPB  |  MUSEUS  |  PARCERIAS  |  PERSONALIDADES  |  PINTORES  |  PORTFÓLIO  |  PROJETOS  |  QUEM SOMOS  |  RÁDIO  |  REDAÇÃO  |  SAÚDE  |  SPcentro  |  TEATRO  |  TELEVISÃO  |  TENDÊNCIAS  |  TVZONA


 ARTES PLÁSTICAS

  27/08/2005
  0 comentário(s)


JEAN BAPTISTE DEBRET

JEAN BAPTISTE DEBRET: UM ARTISTA À SERVIÇO DA CORTE PORTUGUESA NO BRASIL

A primeira metade do século XIX nos permite relembrar, e com muita satisfação, da presença de grandes artistas franceses no Brasil. Tal circunstância deveu-se à intenção da própria Coroa portuguesa em trazer cultura para o país, na ocasião, recém ocupado pela nobreza há apenas 08 anos. Destacaremos, dentre os habilidosos "artistas-viajantes": Jean Baptiste Debret, que segundo a autora Valéria Lima, fora o mais requisitado e competente, naquilo que pretendia revelar por meio da arte. O que pretendemos mostrar neste humilde artigo é o interesse, por parte dos expectadores, quanto à "realidade" inserida nas obras de Debret quando da sua "missão artística" aqui no Brasil. O artista francês foi "convocado" pelo Príncipe Regente de Portugal, D. João VI - em 1816 a retratar todos os momentos ilustres da monarquia. A autora nos revela que Debret, em sua interessante obra: "Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil", permite demonstrar importantes traços de sua própria identidade e personalidade, distanciando-se um pouco daquela idéia de apresentar "imagens fiéis" da escravidão negra no Brasil, e também sobre os "exóticos" momentos da monarquia lusa, instalada no Rio de Janeiro a partir de 1808. Debret sem dúvida, foi mais do que um pintor oficial da nobreza, também atuou com muita competência na fundação da Academia Imperial de Belas-Artes do Rio de Janeiro, contribuindo como professor, cumprindo desta forma, outro desejo do Príncipe D. João VI. Valéria nos lembra bem que neste período o Brasil encontrava-se em processo de formação de sua própria história, inclusive como nação "independente".

JEAN BAPTISTE DEBRETJean Baptiste Debret, nasceu no ano de 1768, em Paris, França. Recebeu grande influência artística de seu primo Jacques-Louis David, um virtuoso pintor portador de um profundo rigor clássico. Debret sempre freqüentou ateliês na França, seu pai era funcionário público e possuía verdadeiro interesse em história natural, elaborando pesquisas sobre o assunto. Referida influência também contribuiu bastante para trajetória artística de Debret, sendo utilizada inclusive no Brasil. A formação cultural de Debret se desenvolveu em meio a conturbados momentos políticos da França revolucionária. O artista passou a fazer parte do grupo de pintores responsáveis pelas imagens de atos históricos e heróicos de Napoleão Bonaparte. As academias francesas de arte até este momento, preocupavam-se com o resgate da historia antiga, trazendo, desta forma, a intenção de elevar a moralidade social da época. Com a "intervenção" de Bonaparte, o cenário é alterado, pois os pintores agora teriam de se preocupar em revelar, com praticamente nenhuma liberdade, assuntos pertinentes à história contemporânea, da qual o próprio Imperador era protagonista.

O AMBIENTE QUE ANTECEDEU A VINDA DE DEBRET PARA O BRASIL

É interessante notarmos que o cenário que antecedeu a vinda do pintor francês a terras brasileiras estava um tanto quanto conturbado. Não podemos esquecer que Napoleão praticamente expulsou a Coroa portuguesa, que na ocasião, fugira para o Brasil. Em 1808 D. João e mais 15 mil pessoas que acompanhavam a Corte, desembarcaram no Rio de Janeiro. Neste mesmo período, os portugueses estavam de relações políticas e sociais, completamente cortadas com os franceses. Diante desta dimensão, talvez seja oportuno perguntarmos, qual seria o objetivo, por parte dos portugueses, em trazer artistas franceses para prestar serviços à monarquia no Brasil. Podemos, no entanto, destacar alguns fatores correspondentes à questão: Segundo a autora, o próprio Debret, como mencionamos anteriormente, fez parte dos pintores "oficiais" designado a retratar momentos gloriosos de Napoleão Bonaparte. Por outro lado, não podemos deixar de mencionar a cultura italiana que, por muitos séculos, formou grandes artistas como Michelangelo, Leonardo Davinci, dentre tantos outros. A Itália dominou, de forma soberana, o cenário artístico até meados do século XVII. A partir do final deste mesmo século e inicio do XVIII a França passou a revelar grandes talentos do mundo da arte, isto graças ao sensível avanço dos ensinos acadêmicos, reunindo desta forma, condições para competir e até superar a qualidade artística italiana. O próprio Debret estudou arte num ateliê na famosa Itália. Outro fator contribuinte que apóia a decisão dos lusos em trazer artistas franceses está ligado à atuação dos "agentes" portugueses. O agente português, Conde de Baça esteve em Paris momentos antes dos artistas franceses embarcarem para o Brasil. Com a eliminação definitiva de Napoleão em 1815 a diplomacia entre Portugal e França voltou a apresentar cordialidade entre os países. Valéria Lima menciona que o Brasil desta época, encontrava-se em plena formação e precisava de cultura, precisava de pessoas com capacidade de ensinar arte. Este também foi um dos principais motivos da convocação dos artistas ao Brasil. A dimensão de Debret não era diferente, pos fora convocado para atuar junto à Corte portuguesa e que também acabou desempenhando importante papel na Academia Imperial de Belas-Artes do Rio de Janeiro, como professor.

DEBRET: O ARTISTA OFICIAL DA CORTE, DA ACADEMIA

Valeria Lima menciona ainda um importante acontecimento quando da chegada de Debret ao Brasil, em 1816. Visto que tal feito coincidiu com a morte da então Rainha de Portugal, D. Maria I. O pintor francês estava incumbido, a partir de então, de retratar o funeral da Rainha e, evidentemente, a aclamação do novo monarca da Corte, inclusive o referido funeral. Paralelamente aos trabalhos de pintor e cenógrafo da monarquia, Debret exercia funções como membro fundador e pintor de história da Academia Imperial, conseguindo reunir condições no sentido de "produzir" novos artistas para o país. "Queria oferecer aos estrangeiros um panorama que extrapolasse a visão de um país exótico e interessante apenas do ponto de vista da história natural. Acreditava que o Brasil merecia estar entre as nações mais civilizadas da época e que a elaboração de uma obra histórica a seu respeito seria uma contribuição valiosa para que esta justiça se cumprisse." Com o grande projeto Viagem pitoresca e histórica ao Brasil, Debret revela sua profunda relação pessoal e emocional, adquirida em sua permanência no Brasil por 15 anos. Em 1831 o pintor solicitou licença ao Conselho da Regência para retornar à França, alegando problemas de saúde. Dois motivos o levaram a tomar tal atitude: primeiro para juntar-se a sua família e segundo, tão importante para o artista quanto o primeiro, era organizar o primeiro volume de sua obra Viagem pitoresca e histórica ao Brasil. A Corte portuguesa aceitou tal solicitação, no entanto, condicionou-a a um retorno do artista para o "novo mundo", fato que não ocorreu, Debret deixou o Brasil em 1831 para nunca mais voltar. Mas, de acordo com a autora, o artista francês jamais deixou se desvencilhar das terras brasileiras, estando profundamente envolvido por meio de sua obra, até o fim de seus dias ocorrido em 1848.

O BRASIL "PINTADO" POR DEBRET

Por meio de sua obra Viagem ..., Debret procurou demonstrar, com minuciosos detalhes e cuidados, a "formação" do Brasil, especialmente no sentido cultural do povo e nação. Os 3 volumes foram publicados em 1834, 1835 e 1839. De acordo com a autora, Debret enfatiza os principais destaques de sua obra: " Ao longo de suas páginas, Debret enfatiza o que considera os diferentes momentos da marcha da civilização no Brasil: os indígenas e suas relações com o homem branco, as atividades econômicas e a presença marcante da mão de obra escrava e, por fim, as instituições políticas e religiosas." Debret procurou resgatar particularidades do país e do povo. Utilizou o termo "pitoresco" com a ideologia de precisão, habilidade, talento, e qualidade artística em representar e "preservar" o passado daquele povo. Segundo a autora, para Debret, esta obra favoreceria no sentido de demonstrar para Europa um Brasil que merecia ocupar o mesmo lugar dos grandes e civilizados países. Debret preocupou-se muito com os textos que acompanhavam suas imagens, demonstrando certa fidelidade ao sentido literário. Tal postura não era comum em outros "artistas - viajantes". Muitos pintores não se preocupavam demasiadamente com o sentido dos textos comparando-os com as ilustrações contidas em seus trabalhos. Esse desejo, por parte do pintor em resgatar costumes e acontecimentos do passado brasileiro evidencia a importância de sua estada ao Brasil durante esses 15 anos. Muitos acreditam em não haver nenhum tipo de contribuição por parte do artista para história do Brasil. [ Francisco Martins ]



  Mais notícias da seção NOTÍCIAS no caderno ARTES PLÁSTICAS
24/09/2005 - NOTÍCIAS - LEONARDO DA VINCI
Foi o maior retratista de seu tempo; nenhum artista antes dele havia capturado de maneira tão convincente a vivacidade das feições e o espírito individual. Nascido em Anchiano, um vilarejo perto da cidadezinha de Vinci, em 15 de abril de 1452, filho de um tabelião e de uma camponesa, Catarina, com quem o pai tinha um casamento cheio de altos e baix...
23/09/2005 - NOTÍCIAS - MARC CHAGALL
Chagall criou seu próprio mundo colorido de mitos e mágica, cheio de estranhas criaturas e eventos miraculosos. Ainda assim, sua arte foi essencialmente baseada em memórias e experiências reais.Um homem quase inteiramente absorvido por seu trabalho e sua vida familiar, assim era Marc, destinado a confrontar-se com as mais variadas culturas, a atrav...
22/09/2005 - NOTÍCIAS - Antonio Bandeira
Nascido em Fortaleza - CE em 1922 -pintor, desenhista, gravador. Inicia-se na pintura como autodidata. Em 1941, em Fortaleza, participa, ao lado de Mário Baratta (1914-1983), entre outros, da criação do Centro Cultural de Belas Artes - CCBA, que dá origem, em 1943, à Sociedade Cearense de Belas Artes - SCAP. Em 1945, transfere-se para o Rio de Jane...
19/09/2005 - NOTÍCIAS - Edvard Munch
Muitas foram suas obras, porém, ele ficou conhecido pela tela "O Grito", 1893. "A Criança Doente", deixou o público de Oslo horrorizado. Os nazistas rotularam de "degeneradas" 82 de suas obras. Munch nasceu em 12 de dezembro de 1863, em Loten - Noruega, e foi o segundo filho homem do Dr. Christian Munch e de sua esposa Laura Catharine. Munch tinha ...
19/09/2005 - NOTÍCIAS - LICHTENSTEIN
Roy Lichtenstein nasceu em 27 de outubro de 1923 na cidade de Nova Iorque, numa família de classe média, seu pai trabalhava como corretor de imóveis. Freqüenta uma escola secundária privada em Nova Iorque, onde a arte não fazia parte da grade educacional.Começa a pintar em casa e desenha por livre vontade. Em sua adolescência desperta o interesse p...
15/09/2005 - NOTÍCIAS - EMILIANO DI CAVALCANTI
Um caldeirão de idéias e ideais faziam de Di um artista singular. Emiliano Di Cavalcanti nasceu em 6 de setembro de 1897, no Rio de Janeiro, na casa de José do Patrocínio, que era casado com uma tia do futuro pintor. Quando seu pai morre em 1914, Di obriga-se a trabalhar e faz ilustrações para a Revista Fon-Fon. Antes que os trepidantes anos 20 se ...
15/09/2005 - NOTÍCIAS - Peter Paul Rubens
Em Mântua, ele assumiu a posição de pintor da corte de Vincenzo Gonzaga, Duque de Mantua. Já foi chamado de o maior expoente do Barroco Setentrional, uma extensão da arte barroca da Itália do século XVII que influenciou, com modificações, muito da arte da Europa católica (e não deixou de influenciar países protestantes, tais como a Inglaterra e os ...
14/09/2005 - NOTÍCIAS - Eugène Delacroix
Em 1798, no dia 26 de Abril em Charenton-Saint Maurice, nasceu Eugène Delacroix, o quarto filho de Victoire "ben, filha do famoso ebanista. Charles Delacroix, seu marido, é ministro dos Negócios Estrangeiros. Contudo, existem razões que levam a crer que o verdadeiro pai de Delacroix foi o famoso diplomata Talleyrand (1754-1838), com quem se dizia q...
14/09/2005 - NOTÍCIAS - Clóvis Graciano
Nasceu na cidade de Araras, SP, em 29 de janeiro de 1907. Pintor, desenhista, cenógrafo, gravador e ilustrador. Muda-se para a cidade de São Paulo em 1934. Até então praticava desenho como autodidata, mas, após contato com o pintor Candido Portinari, passa a freqüentar o ateliê de Waldemar da Costa (1904-1982) e a cursar desenho na Escola Paulista ...
12/09/2005 - NOTÍCIAS - Lasar Segall
Lasar Segall (1891 - 1957) nasceu na comunidade judaica de Vilna, Lituânia, tendo mudado para o Brasil em 1923 e posteriormente adquirido cidadania brasileira. Durante sua carreira, seu estilo sofreu várias influências, mas alguns temas recorrentes em sua obra já aparecem desde as primeiras produções, como o universo judaico, a perseguição aos povo...
08/09/2005 - NOTÍCIAS - HIP-HOP DAS ARTES PLÁSTICAS
A obra múltipla de Basquiat em função de seus temas recorrentes: a autobiografia, os heróis negros -músicos, boxeadores-, as histórias e os desenhos animados, as anatomias, os grafites , os signos e símbolos se associam a dinheiro, racismo e morte.A arte de Basquiat é uma arte de linha: quando pinta, em realidade desenha. No entanto, o desenho é um...
01/09/2005 - NOTÍCIAS - ANTONI TÀPIES - gênio catalão ?
Verniz, franquismo, papelão, sexualidade, pó de mármore, fatalidade, baralho, apartheid e uma cueca. É desta maneira, misturando diferentes materiais a temas polêmicos, que o artista espanhol Antoni Tàpies expressa seu olhar diante da complexidade do mundo. Nascido em Barcelona, em 1923, ele acompanhou a maior parte dos grandes acontecimentos do sé...
25/08/2005 - NOTÍCIAS - ARTISTA PLÁSTICA INVESTE EM DESIGN
A artista plástica Ivani Valenta, tradicionalmente reconhecida pelos retratos em óleo sobre tela, resolveu entrar na área de designer. Inventora dos colares com pinturas abstratas e símbolos orientais, que estão sendo muito bem aceitos pelo público da Feira da República, aos sábados. Recentemente, a jornalista brasileira Fabiana Lima, que trabalha...
23/08/2005 - NOTÍCIAS - Quadros de brasileira decoram hotel em Dubai
Dois painéis da gaúcha Heloísa Crocco estão expostos no hall de entrada do Hilton Creek, nos Emirados Árabes Unidos. Dois painéis da artista brasileira Heloísa Crocco decoram o hall de entrada do hotel Hilton Creek, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Heloísa produz quadros com texturas de madeira e foi convidada pelo arquiteto que projetou o ho...
23/07/2005 - NOTÍCIAS - CÂNDIDO PORTINARI - cronologia
Candido Portinari nasceu no dia 29 de dezembro de 1903, numa fazenda de café em Brodoswki, no Estado de São Paulo. Filho de imigrantes italianos, de origem humilde, recebeu apenas a instrução primária de desde criança manifestou sua vocação artística. Aos quinze anos de idade foi para o Rio de Janeiro em busca de um aprendizado mais sistemático em ...
28/05/2005 - NOTÍCIAS - Edson Fernandez: Perfil
Mensagens subjetivas nas telas de E. Fernandez Artista plástico, ilustrador, multi-instrumentista, escritor e compositor, Fernandez já realizou várias " viagens " experimentais por técnicas como guache, aquarela, têmpera, tinta acrílica e óleo sobre tela, além de nanquim e grafite. Seu trabalho tece uma relação muito próxima com o desenho, pintur...
20/04/2005 - NOTÍCIAS - FARNESE DE ANDRADE
Medo, angústia, espanto e tristeza são alguns dos sentimentos despertos quando se está diante de uma obra do pintor, desenhista, escultor e gravurista Farnese de Andrade. Mineiro de Araguari, Farnese ...
04/04/2005 - NOTÍCIAS - APOIO
Mais informações:FORMAS&MEIOS COMUNICAÇÕES[55 11 ] 6848-3230 ...
14/03/2005 - NOTÍCIAS - Ângela Maria dos Santos
PerfilArtista Plástica, Desenhista e Professôra de arte, Ângela optou pelo abstrato e tem como referência Tomie Ohtake e Manabu Mabe, dois grandes mestres do abstracionismo no Brasil. Já lecionou pintura e desenho em ateliê próprio, trabalhou na agência de publicidade "True Colors" no departamento de criação. Algumas de suas obras encontram-se em p...
09/03/2005 - NOTÍCIAS - SIDNEI BOTTO CASTELLAN
O artista pinta o expressionismo alemão, o abstrato, mas flerta com o cubismo. Sidnei vem buscando uma identidade própria na sua arte denominada de fluídismo. Ele usa cores e formas intensas em suas pinturas. Sidnei já trabalhou como desenhista em ateliê de arquitetura e restaurador de molduras com valor histórico. Em 87 e 89 lecionou curso de pint...
18/09/2005 - NOTÍCIAS - A ARTE DE JULIANA OTONI
Formada em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, sempre esteve envolvida com o mundo das artes, embora só tenha começado a pintar profissionalmente há cerca de dois anos. Sua pintura, em muitos casos, revela traços de realismo fantástico, com uma forte influência do período ultra-romântico, e por vezes também trazem poema inscritos nas telas. En...
24/02/2005 - NOTÍCIAS - PINTURA DE JULIANA OTONI
Aconteceu em 2003 no Shopping JabaquaraColetiva - óleo sobre tela, acrílico e mista.2003 / 2004 Shopping LightColetiva - óleo sobre tela, acrílico e mista...
07/05/2005 - NOTÍCIAS - PRIMEIRA EXPOSIÇÃO BRASILEIRA DE BELAS-ARTES 1911-1912
A primeira exposição Brasileira de Belas-Artes teve grande concorrência de artistas de todo Brasil; com participação de muitos cariocas e até de alguns Paulistas que estavam em Paris, como foi o caso de Nicota Bayeaux. Nomes ilustres da época, como Antonio Parreiras, Pedro Weingartner, Lucílio e Georgina de Albuquerque enviaram seus trabalhos. Divi...
27/06/2005 - NOTÍCIAS - IVANI VALENTA - Perfil
Muito à vontade para falar de seu trabalho, a simpática Ivani Valenta vem em um crescente em suas obras, cada dia que passa supera-se. É sempre bom visitá-la na Praça da República - sábados - e domingos- na Liberdade, para verificar sua pintura em acadêmico clássico. Porém, a artista vem obtendo mais notoriedade como retratista. Os retratos feitos ...
14/02/2005 - NOTÍCIAS - HUMBERTO FRÖHLS - perfil
Acadêmico nato, além de empatia em suas obras ele é dono de soberba técnica. Entre suas influências, o renascentismo alemão. De 1968 a 1970 cursou desenho em técnica grafite e carvão, na Associação Paulista de Belas Artes. Entre 1973 e 1975 estudou publicidade na Escola Panamericana de Artes: lápis, nankin, gauche e ecoline. Em 2003 participou de ...
23/08/2005 - NOTÍCIAS - GRUPO ATMÃ
ARTE & EXPRESSÃO Formado em meados de 2002, por seis amigos artistas plásticos, o Grupo Atmã está envolvido na mesma busca, uma sintonia consigo mesmo e com a arte. Os componentes tem os mesmos ideais; experiências similares. O grupo é democrático: acolhe todos os estilos, porém criativos, estão sempre num constante flux...



Capa |  ARTES PLÁSTICAS  |  ARTESANIA  |  ATUALIDADES  |  CARANGO  |  CHARGE  |  CINEMA ANTIGO  |  CLÁSSICA  |  CONTANDO HISTÓRIAS  |  CRÉDITOS  |  CULTURA  |  DEAD ROCK  |  DISCOS / SHOWS  |  EDITORIAL  |  EXPOSIÇÕES  |  F&M FEMININA  |  F&M WORLD  |  FILMES EM CARTAZ  |  FOTOTECA  |  GALERIA VISCONDE  |  GIGANTES DO JAZZ  |  IMPRENSA  |  LITERATURA  |  MAURÍCIO CARDIM  |  MPB  |  MUSEUS  |  PARCERIAS  |  PERSONALIDADES  |  PINTORES  |  PORTFÓLIO  |  PROJETOS  |  QUEM SOMOS  |  RÁDIO  |  REDAÇÃO  |  SAÚDE  |  SPcentro  |  TEATRO  |  TELEVISÃO  |  TENDÊNCIAS  |  TVZONA
Busca em

  
754 Notícias