| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

REVISTA FORMAS & MEIOS
Desde: 03/02/2005      Publicadas: 754      Atualização: 31/10/2005

Capa |  ARTES PLÁSTICAS  |  ARTESANIA  |  ATUALIDADES  |  CARANGO  |  CHARGE  |  CINEMA ANTIGO  |  CLÁSSICA  |  CONTANDO HISTÓRIAS  |  CRÉDITOS  |  CULTURA  |  DEAD ROCK  |  DISCOS / SHOWS  |  EDITORIAL  |  EXPOSIÇÕES  |  F&M FEMININA  |  F&M WORLD  |  FILMES EM CARTAZ  |  FOTOTECA  |  GALERIA VISCONDE  |  GIGANTES DO JAZZ  |  IMPRENSA  |  LITERATURA  |  MAURÍCIO CARDIM  |  MPB  |  MUSEUS  |  PARCERIAS  |  PERSONALIDADES  |  PINTORES  |  PORTFÓLIO  |  PROJETOS  |  QUEM SOMOS  |  RÁDIO  |  REDAÇÃO  |  SAÚDE  |  SPcentro  |  TEATRO  |  TELEVISÃO  |  TENDÊNCIAS  |  TVZONA


 MPB

  11/05/2005
  0 comentário(s)


CARTOLA

Agenor de Oliveira, o Cartola, nasceu no dia 11 de outubro de 1908, no Rio de Janeiro - mais precisamente no bairro do Catete. Por erro de um escrivão, seu prenome foi grafado Angenor. Era o quarto filho - de um total de sete - do casal Sebastião Joaquim de Oliveira e Aída Gomes de Oliveira. Aos 8 anos de idade, já desfilava em blocos carnavalescos de rua. Aos 11, por problemas financeiros, foi morar com a família no morro de Mangueira. Começou a trabalhar muito cedo. Foi tipógrafo e pedreiro. Aliás, foi na época em que trabalhava em obras que surgiu seu apelido - por causa do chapeu coco que usava durante o serviço para evitar que seu cabelo ficasse sujo de cimento. Aos 11 anos Dona Aída morreu prematuramente. Seu Sebastião era muito severo e chegou a expulsar Cartola de casa aos 17 anos de idade. Sozinho, o jovem Angenor envolveu-se com várias mulheres, adoeceu e deixou de trabalhar. Recuperado, juntou-se a mais seis amigos para criar a primeira escola de samba do subúrbio carioca - a Estação Primeira de Mangueira. Em 28 de abril de 1928, reunidos na casa do Euclides da Joana Velha, na favela da Mangueira, sete homens fundaram a Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira: seu Euclides, Saturnino Gonçalves (o Satur), Marcelino José Claudino (o Massu), Pedro Caim (o Pedro Paquetá), Abelardo da Bolinha, Cartola e Zé Espinguela. Cartola tornou-se diretor de harmonia da Escola. Passou a se dedicar à composição e aos poucos foi construindo um enorme repertório. Porém tudo mudou quando Ma'rio Reis apareceu lá no morro querendo comprar um samba. Cartola se ofendeu e disse " você está maluco, eu não vendo coisa nenhuma". Mas até que enfim, convencido, ele vendeu por 500 mil. Afinal isso em 1932 era muito dinheiro. O samba "Que Infeliz Sorte " foi gravado por Chico Alves

DÉCADA DE 40

Nos anos 40, sua vida entraria numa fase negativa. Ficou viúvo, contraiu meningite e trocou o morro da Mangueira pela Baixada Fluminense. Curado, voltou a viver no morro e começou a namorar dona Euzébia Silva do Nascimento, a famosa dona Zica - irmã da mulher do compadre Carlos Cachaça. Dona Zica nasceu em 1913. Conheceu Cartola ainda na infância, nos desfiles dos blocos carnavalescos de rua. Cartola pertencia aos Arrepiados, enquanto dona Zica era do Bloco do Seu Júlio. Foram se reencontrar depois de muitos anos, em 1952. Casaram-se depois de 12 anos juntos, em 1964. Passaram por dificuldades financeiras, abriram com mais dois sócios um restaurante chamado Zicartola (cartaz promocional no destaque) e desfrutaram juntos momentos inesquecíveis. Dona Zica foi fundamental na vida e na carreira de Cartola. Na época em que moravam juntos, Cartola compôs "As Rosas Não Falam", "Nós Dois" (feita dias antes do casamento de Cartola e Dona Zica) e "O sol Nascerá" (parceria com Elton Medeiros que se tornou um grande sucesso na voz de Nara Leão).

MANGUEIRA / PRIMEIRO DISCO

A outra paixão: o Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira. O mestre de Mangueira, durante os dez primeiros anos, foi o compositor oficial dos sambas enredo da escola. É de sua autoria o primeiro samba escolhido para a escola desfilar, "Chega de Demanda". Alguns deles tornaram-se imortais, como "Vale do São Francisco" e "Tempos Idos". Cartola, no entanto, nem sempre se relacionou bem com a Mangueira. Durante os anos de 1949 e 1977, ele sequer desfilou. Os motivos eram sempre os mesmos: divergências com os diretores da Escola, que em várias ocasiões teriam transformado a escola num reduto eleitoreiro.
Cartola só conseguiu realizar seu sonho de gravar um disco em 1974, aos 65 anos de idade. Sua vida conturbada e a falta de oportunidades fizeram com que sua obra só fosse conhecida oficialmente num disco lançado pelo produtor Marcus Pereira. Apesar de ter sido famoso nos anos trinta, reconhecido nos anos setenta e muito querido por todos (em destaque com o maestro Radamés Gnattali), Cartola nunca recebeu consideração à altura de sua obra. Nas duas últimas décadas, muitas foram as homenagens póstumas prestadas a ele por artistas como Beth Carvalho, Alcione, Paulinho da Viola, Chico Buarque, Leny Andrade, Cazuza e Marisa Monte. Exemplos disso são o LP "Bate Outra Vez" de 1988, o CD de Leny Andrade, lançado em 1994, e a homenagem prestada por Chico Buarque num CD gravado em 1997 (Chico Buarque de Mangueira) feito em companhia dos integrantes da Estação Primeira de Mangueira.

CARTOLACOMPOSIÇÕES

FALA MANGUEIRA

Gravadora Odeon, 1968

Lá em Mangueira (Heitor dos Prazeres/Herivelto Martins)

Alegria (Cartola)

Saudosa Mangueira (Herivelto Martins)

Sabiá de Mangueira (Frazão/B. Lacerda)

Despedida da Mangueira (B. Lacerda/Aldo Cabral)

CARTOLA

Coleção "Música Popular Brasileira" - Abril Cultural
Gravadora RCA, 1970

O sol nascerá (Cartola/Elton Medeiros)

Divina Dama (Cartola/interpretação de Francisco Alves)

Tive sim (Cartola/interpretação de Ciro Monteiro)
Preconceito (Cartola)
Luz negra (Cartola/A. Cardoso)

Rugas (Cartola/A. Garcez/A. Monteiro)

A flor e o espinho (Cartola/A. Caminha/G. de Brito)

Degraus da vida (Cartola/C. Brasil/A. Braga)

RAÍZES DA MANGUEIRA

Gravadora Copacabana, 1973

Disco com vários compositores da Mangueira

Exaltaçao a Villa-Lobos (Jurandir da Mangueira/Cláudio)

Mangueira é muito grande (Ataliba)

Mangueira (Jurandir da Mangueira)

Tenha pena de mim (Cyro de Souza/Babaú)
Estou vivendo na floresta (Babaú/Chiquinho)

CARTOLA
Discos Marcus Pereira, 1974

Disfarça e chora (Cartola/Dalmo Casteli)

Sim (Cartola/Oswaldo Martins)

Corra e olhe o céu (Cartola/Dalmo Casteli)
Acontece (Cartola)

Tive sim (Cartola)

O sol nascerá (Cartola/Elton Medeiros)

Alvorada (Cartola/Carlos Cachaça/Hermínio Bello de Carvalho)

Festa da vinda (Cartola/Nuno Veloso)

Quem me vê sorrindo (Cartola/Carlos Cachaça)
Amor proibido (Cartola)

Ordenes e farei (Cartola/Aluizio Dias)
Alegria (Cartola)

CARTOLA

Discos Marcus Pereira, 1976

O mundo é um moinho (Cartola)

Minha (Cartola)

Sala de recepção (Cartola)

Não posso viver sem ela (Cartola/Alcebíades Barcelos)

Preciso me encontrar (Candeia)

Peito vazio (Cartola/Elton Medeiros)
Aconteceu (Cartola)

As rosas não falam (Cartola)

Sei chorar (Cartola)

Ensaboar (Cartola)

Senhora tentação (Silas De Oliveira)

Cordas de aço (Cartola)

VERDE QUE TE QUERO ROSA
Gravadora RCA, 1977

Verde que te quero rosa (Cartola/Dalmo Casteli)
A canção que chegou (Cartola/Nuno Veloso)

Autonomia (Cartola)

Desfigurado (Cartola)

Escurinha (Geraldo Pereira/Arnaldo Passos)

Tempos idos (Cartola/Carlos Cachaça)

Pranto de poeta (Nélson Cavaquinho/Guilherme de Brito)

Grande deus (Cartola)

Fita meus olhos (Cartola /Olvaldo Vasques)
Que é feito de você (Cartola)

Desta vez eu vou (Cartola)

Nós dois (Cartola)

CARTOLA 70
Gravadora Odeon, 1978

Cartola e seus companheiros Nelson Cavaquinho, Carlos Cachaça, Clementina de Jesus e Odete Amaral.
,
Participação especial de Zezinho
Enquanto houver Mangueira (Roberto Roberti/A. Marques Jr.)

Lá em Mangueira (Heitor dos Prazeres/Herivelto Martins)

Mundo de zinco (Antônio Nássara/Wilson Batista)
Tempos idos (Cartola/Carlos Cachaça)
Ao amanhecer (Cartola)

Alvorada no morro (Cartola/Carlos Cachaça)

Quem me vê sorrindo (Cartola/Carlos Cachaça)

Alegria (Cartola)

Lacrimário (Carlos Cachaça)

Saudosa Mangueira (Herivelto Martins)

Sei lá, Mangueira (Paulinho da Viola / Hermínio

Bello de Carvalho)

Rei vagabundo (Cartola)

A Mangueira me chama (Cartola)

Sempre Mangueira (Cartola)

Folhas caídas (Cartola)

Eu e as flores (Cartola)

Sabiá de Mangueira (Frazão / B. Lacerda)

Exaltação à Mangueira (E. B. da Silva / A. Augusto da Costa)

Despedida de Mangueira (B. Lacerda/Aldo Cabral)

CARTOLA 70 ANOS

Gravadora RCA, 1979

O inverno do meu tempo (Cartola/Roberto Nascimento)

A cor da esperança (Cartola/Roberto Nascimento)

Feriado na roça (Cartola)

Ciência e arte (Cartola/Carlos Cachaça)

Senões (Cartola/Nuno Veloso)

Mesma estória (Cartola/Elton Medeiros)

Fim de estrada (Cartola)

Enquanto Deus consentir (Cartola)

Dê-me graças, senhora (Cartola/Cláudio Jorge)

Evite meu amor (Cartola)

Silêncio de um cipreste (Cartola/Carlos Cachaça)
Bem feito (Cartola)

DOCUMENTO INÉDITO,

Gravadora Eldorado, 1982

Gravação de um show em homenagem a Cartola, realizado no final de 1981

Que sejam bem vindos (Cartola)
Autonomia (Cartola)

Acontece (Cartola)

Senões (Cartola/Nuno Veloso)

O inverno do meu tempo (Cartola/Roberto Nascimento)

Que sejas bem feliz (Cartola)

Dê-me graças, senhora (Cartola/Cláudio Jorge)

Quem me vê sorrindo (Cartola/Carlos Cachaça)

CARTOLA ENTRE AMIGOS
Gravadora Funarte

Brasil, terra adorada / Não
O samba do operário
Rolam nos meus olhos
Se outro amor tantasse
Partiu
Festa da Penha
Deus te ouça
Interroguei uma rosa
Tu vais ao samba
Juca Malvado



  Mais notícias da seção CANTORES ANTIGOS no caderno MPB
18/05/2005 - CANTORES ANTIGOS - ADONIRAN: UM POETA MACARRÔNICO
João Rubinato, que adotou o pseudônimo de Adoniran Barbosa em 1935, em homenagem aos amigos Adoniran Alves e Luís Barbosa, nasceu em Valinhos, estado de São Paulo, no dia 6 de agosto de 1910. Foi o sétimo filho de um casal de imigrantes italianos, vindos de Veneza. Ainda menino, mudou-se com a família para Jundiaí, Estado de São Paulo, onde estudou...
14/05/2005 - CANTORES ANTIGOS - VADICO
Osvaldo de Almeida Gogliano, compositor, regente e instrumentista, nasceu em São Paulo / SP, em 24 de junho de 1910 e faleceu no Rio de Janeiro / RJ, em 11junho de 1962. Filho de imigrantes italianos do bairro do Brás, todos seus irmãos eram músicos: Carlos tocava flauta e ...
14/05/2005 - CANTORES ANTIGOS - Compositor David Nasser
David Nasser, letrista, jornalista e escritor, nasceu em Jaú SP, em 1/1/1917 e faleceu no Rio de Janeiro RJ em 10/1...
13/05/2005 - CANTORES ANTIGOS - ARACI DE ALMEIDA
Por Francisco Martins / Dino Nery Araci Teles de Almeida nasceu em 19 de agosto de 1914, no Rio de Janeiro. Cantora, nasceu e foi criada no subúrbio carioca de Encantado; o pai, Baltasar Teles de Almeida, era chefe de trens da Central do Brasil. Estudou num colégio em Engenho de Dentro, onde foi colega do radialista Alziro Zarur, e p...
11/05/2005 - CANTORES ANTIGOS - A 4 de maio de 1937 morria Noel Rosa "
Noel de Medeiros Rosa nasceu no chalé da rua Teodoro Silva, em Vila Isabel (RJ), no dia 11 de dezembro de 1911 e lá morreu, em 4 de maio de 1937. Filho de Manoel Garcia de Medeiros Rosa, funcionário público, e de Martha de Medeiros Rosa, professora que o iniciou nas primeiras ...
04/05/2005 - CANTORES ANTIGOS - NOEL ROSA - História
DR NOEL Em 1929, terminado o ginásio, preparou-se para entrar na Faculdade de Medicina, sem deixar de lado o violão e as serenatas. Em Vila Isabel, estudantes do Colégio Batista e moradores do bairro haviam formado um conjunto musical, o Flor do Tempo, que se apresentava em festas de família. Convidados a gravar em 1929, o grupo foi reformulado, co...
30/04/2005 - CANTORES ANTIGOS - GONZAGUINHA - PERFIL
Luís Gonzaga do Nascimento Júnior, aos 14 anos, fez sua primeira música, " Lembranças de primavera ", e mais tarde compôs "Festa e " From U.S. of Piauí ", todas gravadas por seu pai em 1967. Também em 1967 ingressou na Faculdade de Ciências Políticas Cândido Mendes, no Rio de Janeiro, onde se formou em economia. Em 1968 concorreu com Pobreza, por...
30/04/2005 - CANTORES ANTIGOS - HERIVELTO MARTINS
Agente ferroviário apaixonado pelo teatro, Felix Bueno Martins empenhava a maior parte de seu ganho, para manter as atividades ligadas às artes, e a paixão contaminou, desde cedo, seu filho Herivelto, irmão de Hedelacy, Hedenir e Holdira, os quatro filhos que tivera com a mulher, Carlota de Oliveira. Aos cinco anos, Herivelto morava com a família,...
21/03/2005 - CANTORES ANTIGOS - ORLANDO SILVA
Orlando Garcia da Silva, o grande Orlando Silva, uma das mais admiradas vozes da música brasileira em todos os tempos, nasceu no no dia 03 de outubro de 1915, na rua Augusta, 35, situada no Engenho de Dentro, Zona Norte do Rio de Janeiro. O nome dessa rua, mais tarde, passaria a ser General Clarindo. O pai se chamava José e a mãe, Balbina. Era uma ...
21/03/2005 - CANTORES ANTIGOS - ORLANDO SILVA E CLEMENTINA
BOM GOSTO O repertório do rapaz de 19 anos era constituído, evidentemente, de músicas dos outros, destacadamente de Sílvio Caldas, que, na oportunidade, já era famosíssimo com somente 26 anos de idade. Ainda no fim deste ano, Orlando Silva ganhou oportunidade para gravar seu primeiro disco comercial:"Ondas Curtas" de um lado e "Olha a baiana" do ou...
21/03/2005 - CANTORES ANTIGOS - CHICO ALVES, O REI DA VOZ
Francisco de Moraes Alves nasceu em 19 de agosto de 1898, no Rio de Janeiro, na rua Conselheiro Saraiva, centro, sendo filho de José e Isabel, portugueses. Seu José, dono de botequim, falecido em 1919, não faria fortuna. Teve três irmãs: Ângela, a mais velha, Lina e Carolina. Lina, com o nome artístico de Nair Alves, seria conhecida atriz de revist...
21/03/2005 - CANTORES ANTIGOS - Chico Alves: Romântico
Nos gêneros sentimentais, lançou o samba-canção A única lembrança (Ari Barroso) e a canção Meu romance (Saint-Clair Senna). Em 1939 registrou as valsas Diga-me e Minha adoração (ambas de Nelson Ferreira) e Valsa dos namorados (Silvino Neto) e o gênero a que se chamou "samba-exaltação" com Aquarela do Brasil (Ari Barroso), designado no selo do disc...
21/03/2005 - CANTORES ANTIGOS - ADILÉIA SILVA DA ROCHA: DOLORES DURAN
Terceira dos quatro filhos do Sargento da Marinha Armindo José da Rocha e de Josefa Silva da Rocha, Adiléia Silva da Rocha, verdadeiro nome de Dolores, nasceu no dia 7 de junho de 1930, no Rio de Janeiro.Morando nos subúrbios de Irajá e de Pilares, cantava desde os 3 anos de idade. Aos 5 já participava das tradicionais festas do Rio, como reisados ...
21/03/2005 - CANTORES ANTIGOS - O ÉBRIO
Vicente Celestino nasceu em 12 de setembro de 1894, no Rio de Janeiro, em Santa Teresa, na Rua Paraíso. Aos oito anos de idade iniciou sua carreira artística. Possuidor de voz extraordinária, era chamado diariamente para cantar em festas de Igrejas, em reuniões sociais e em clubes. Nada recebia em troca, além de elogios, aplausos e lanche. Assi...



Capa |  ARTES PLÁSTICAS  |  ARTESANIA  |  ATUALIDADES  |  CARANGO  |  CHARGE  |  CINEMA ANTIGO  |  CLÁSSICA  |  CONTANDO HISTÓRIAS  |  CRÉDITOS  |  CULTURA  |  DEAD ROCK  |  DISCOS / SHOWS  |  EDITORIAL  |  EXPOSIÇÕES  |  F&M FEMININA  |  F&M WORLD  |  FILMES EM CARTAZ  |  FOTOTECA  |  GALERIA VISCONDE  |  GIGANTES DO JAZZ  |  IMPRENSA  |  LITERATURA  |  MAURÍCIO CARDIM  |  MPB  |  MUSEUS  |  PARCERIAS  |  PERSONALIDADES  |  PINTORES  |  PORTFÓLIO  |  PROJETOS  |  QUEM SOMOS  |  RÁDIO  |  REDAÇÃO  |  SAÚDE  |  SPcentro  |  TEATRO  |  TELEVISÃO  |  TENDÊNCIAS  |  TVZONA
Busca em

  
754 Notícias